26/01/2010

Colinas

.
Por vezes me pego assim, ruminando idéias, pensamentos . Voltam e vão . Mas gosto assim quando não são turbilhões, ainda que estes me façam criar, ou por vezes sofrer, o que em si nao é muito diferente. Concordam  nisto tantas mães em seus partos gemidos......

Falo aqui destas idéias que nos rodeiam em silêncio, por dias,  giram em torno da mente lentas e macias, como um leve e delicado dedilhar de mamilos. E quando por fim param, cristalizam,  deixam na alma uma sensação úmida , um gosto doce de sabedoria. Não poderia ser diferente , a alma e a mente, ao contrário do corpo e do espírito, são em tudo e no todo femininas.

Circundaram minha alma por estes dias , duas idéias aparentemente adversas, antagônicas, mas por estarem juntas no cenário de minha mente, nele dançaram feito exímias bailarinas.

Era uma a idéia, a imagem de Oxum, Senhora das águas doces, dos rios, Soberana das cachoeiras , geradora de toda vida. Era  a outra a idéia, a imagem terrível da destruição e das mortes causadas pelas cheias, pelas vazantes exageradas dos rios ....
A uni-las? O ritmo , a musicalidade da frase de Mãe Regina da Bahia :

Você é de Oxum , menino! Muitos entram , pouquíssimos ficam em sua vida, amizades, amores, Oxum é ciumenta querido ! Ela é a Senhora do Ouro, o ouro está no leito dos rios, Oxum revira, retira, nada deixa que não seja precioso, puro ! Pasmei !!!!!

Aos poucos, passando os dias, muita coisa pensei, muita coisa lembrei.......

Em passado não muito distante , a cidadela a qual chamo minha vida, foi invadida por um rio impiedoso que a tudo inundou, revirou, encheu,destruiu , arrastou.
Lembrei em sorrisos (porque agora verdadeiramente os tenho) que na época, aturdido, perdido, vendo o que "julgava ter" ser destruido , blasfemei, contra todos os céus gritei.

Findo o bailado das idéias meninas, repousa minha alma numa deliciosa compreensão.

As cheias só destroem o que fora construído nos vales, lugares indevidos. No vale de minhas vaidades cultivei em mim falsas virtudes, no meu entorno erigi falsos amigos, falsos amores. As cheias não são punitivas, são apenas naturais, purificadoras
Fico feliz ao peceber que mesmo nos equívocos de então, diversa era minha geografia. Havia Colinas em minha vida. Não tão altas e inantigíves como as montanhas, nem tão baixas e suscetíveis como os vales... Colinas.

Meus poucos e verdadeiros amigos são Colinas. Minhas poucas e sinceras virtudes são Colinas, e somente nelas edifico hoje.....

Agradeço sinceramente Oxumaré , Senhor das mutações e dos equilíbrios, do transporte das águas ,que fez chover imensamente nas cabeceiras , nas cachoeiras de Oxum, e que esta tenha passado tão ciumenta e preciosa por minha cidadela , como um rio violento  arrastando  tudo o que estava no vale  para o Mar, onde Iemanjá acolheu e transformará essa gente tanta em vidas possíveis. Segredos do Mar. Segredos das Águas.

Eu, cá de minhas Colinas, contemplo o Vale e dele não sinto saudades mais!
O Vale é do rio.



Um comentário:

Jussara Gehrke disse...

lindo!

entendi tudo.

beijos meu querido amigo